quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

"Arte" com Animais

Se nos dermos ao trabalho de abrir um dicionário, ou então, se acedermos a um dos muitos sites onde temos acesso a conceitos, damos facilmente de caras com uma das noções mais postas em causa na actualidade. O termo “arte”, não tem um significado objectivo, mas sim um conjunto de dependências bastante alargado. Arte depende, então, da época ou cultura onde se dá o fenómeno artístico. Este último é criado com o objectivo de suscitar emoções, estimular consciências através de instâncias estéticas.


Em lado algum é esboçada a introdução do termo animal. Em lado algum os animais visam funcionar como própria arte. Ao invés, é nos dito que a arte é uma actividade humana ligada a manifestações de ordem estética.

Na arte rupestre, o mais próximo que temos dos animais são as suas representações feitas em paredes de grutas, há milhões e milhões de anos atrás.

A arte, ao longo destes anos tem vindo a sofrer várias alterações, desde as manifestações greco-romanas, à arte religiosa do período medieval, o Renascimento, até mesmo ao início do século XIX, a arte era realizada por artistas, por pessoas com formação para tal que passavam por processos de aprendizagem rigorosos, que trabalhavam com os melhores artistas daquela época. Os resultados eram, geralmente e, de uma forma natural excelentes obras de arte que passaram pela maior prova de todas, o tempo.

A partir do século XIX, passando pelo século XX, até aos dias de hoje, as artes, para serem nobres, não se resumem à escultura, pintura ou arquitectura. Verifica-se uma crescente multiplicidade de fenómenos artísticos que, em diversos casos, resultam de uma mudança de mentalidade voraz.

O que acontece é que esta mudança foi, por vezes, positiva. Porém, noutros casos, a liberdade concedida ao “artista” não foi compreendida da melhor forma.

O que queremos, com este artigo, alertar, não passa por uma crítica à arte, mas sim ao conceito de artista que põe em causa os animais e os seus direitos.

Certo é que a arte tem vindo a sofrer uma crise temática, contudo não é com o que vamos ver de seguida que esta crise melhora ou justifica o que quer que seja.

Desde inícios do século XX que o homem quer chocar o público. Quer através de performances quase suicidas de alguns “artistas”, até obras de arte praticamente incompreendidas pelo público, a arte passou a ter um estatuto realmente ridículo.

Desde esta altura que os animais são utilizados nas performances ditas artísticas e/ou funcionam como a própria “obra de arte”.

Se olharmos para trás, para o passado artístico, até o que já foi referido neste artigo, conhecemos alguns períodos da nossa história de onde fazem parte alguns dos nomes mais reconhecidos da arte mundial. É conhecido o verdadeiro génio artístico de DaVinci, no entanto, este era um grande defensor dos direitos dos animais, nunca precisando de utilizar nenhum ser vivo para figurar nas suas obras.

O que se verifica actualmente, são casos de puro sensacionalismo e uma procura crescente de fama por parte de pessoas que em nada se assemelham a artistas e denigrem o próprio conceito artístico.

Vamos dar-lhe conhecimento de alguns casos onde o conceito de pessoa nem deveria ser considerado:
Guillermo Vargas, um dito artista que ficou reconhecido por amarrar um cão e deixá-lo morrer à sede e à fome numa performance elaborada numa galeria de arte em Nicarágua em 2007. Por cima do cão figuravam frases escritas com ração.
Wim Delvoye, um “artista” belga ficou, também conhecido por comprar porcos, ainda bebés, e tatuá-los com diversos motivos pertencentes a algumas marcas. Delvoye transporta a seu belo prazer os animais para diversos países, onde os expõe, como se de arte se tratasse.
Outro episódio que invadiu o mundo artístico recentemente é o caso de Katinka Simonse, uma cidadã holandesa que mais não faz que matar os próprios animais para fazer peças de roupas, como malas, para figurarem em galerias de arte.
Neste caso, Katinka não se fica só com estes actos macabros. Recentemente chocou a opinião pública ao colocar 100 hamsters fechados numa bola de plástico durante uma mostra cultural.
E, a par deste exemplos absurdos, existem muitos outros. Quem pensa que estes casos são singulares, desengane-se. Estes problemas, estes males de uma sociedade contemporânea, surgem cada vez com mais frequência e, cabe-nos a nós, cidadãos com cabeça estar atentos para denunciar todos estes casos que, para além de denegrirem a arte, sujam o conceito de sociedade, de princípios. Estas pessoas que se julgam artistas, mais não são que doentes mentalmente muito afectados e que, não merecem nada mais do que desprezo. Porém, pelo conteúdo das suas “obras”, este desprezo não pode ser utilizado como “arma”, no entanto, temos obrigação de denunciar estes casos, ou pelo menos divulgá-los o mais que pudermos para conseguirmos alterar o rumo destas mentes perturbadas.

Senhores Artistas, Senhores Curadores, Senhores Críticos, PAREM de considerar estes crimes como arte, PAREM de contribuir para estes actos macabros. MOSTREM mais respeito pelos animais, MOSTREM que têm cabeça, MOSTREM que são seres humanos e, como tal, seres racionais.

Sugerimos que divulguem estes casos, que repensem a cultura a que todos temos direito e que mimem os vossos animais pois eles não pensam em meter-vos numa bola de plástico ou transformar-vos em mochilas. Eles dão-vos afecto, lealdade, em troca de quase nada.

3 comentários:

  1. Repúdio.Jamais chamaria estupidez de arte. merecem ser castigados pela vida..com graves danos à saúde do resto do corpo..pois a mental já se é debilitada!

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Com toda certeza essa gente precisa de cadeia psiquiátrica.......como podem fazer isso e chamar de arte...isso é o demo usando pessoas q não tem nada na cabeça para fazer deste mundo um poço de ódio pelas pessoas de bom coração......imaginem todo ódio que podem causar uma matéria dessas nas pessoas....começariamos a plantar o ódio em nossos corações...ficaríamos doentes como já ficamos quando lemos esse tipo de matéria na internet...........começaríamos a odiar tanto que não sobraria espaço para o amor , a alegria e felicidade nas pessoas.....adoeceríamos vendo este lixo e crecería o ódio no mundo (é isso que o demo faz com as pessoas jogam umas contra as outras.......usando as cabeças mais fracas e vazias para praticar atrocidades!!!!!!!

    ResponderEliminar